Dança Jazz

A dança Jazz está intimamente ligada à história da música e dança jazz trazidos para o continente americano pelos negros africanos escravizados. No entanto, enquanto que a música jazz foi florescendo ao longo dos tempos através de formas e estilos variados que foram captando a atenção de diversos públicos e originando novas tendências, a dança jazz só subiu aos palcos da Broadway e do Harlem em Nova York, onde se popularizou, com o aparecimento dos musicais nos anos 20.

Durante a década de 1940 enquanto que o jazz alcançava maior popularidade em todo o mundo por intermédio do swing, o jazz teatral sofria influência marcada de formas clássicas do ballet e da dança moderna, além de outras formas de danças étnicas, latinas, folclóricas e de sapateado claramente ligadas às exigências dos repertórios de teatro musical.

Um artista de Musical Jazz tem que saber exprimir-se e comunicar através da representação, do canto e da dança, demonstrando versatilidade, equilíbrio e virtuosismo. Obviamente que para ser um bom performer não terá que ser um bailarino, mas de certo terá que dominar as principais formas de dança utilizadas em repertório de musicais. É este claramente o objectivo primário desta disciplina. Fornecer vocabulário técnico e corporal para responder às exigências deste estilo artístico tão completo.

A disciplina de Jazz trabalha a noção corporal, desenvolvendo elegância, força, beleza foco e equilíbrio. Desenvolve a percepção temporal, espacial, dinâmica e a qualidade e funcionalidade do movimento. Na verdade permite aos alunos ganhar sentido de performance em palco, funcionando como a ponte de ligação entre as várias competências artísticas exigidas, fornecendo sentido de corpo e projeção bem como uma sensibilidade crítica, estética e plástica.

Nesta disciplina, pretende-se proporcionar uma nova abordagem do corpo como instrumento estético e de comunicação associado a outros estilos de dança, criando vocabulário corporal e condição física para explorar e optimizar as suas infindáveis capacidades. Pretende-se também, desenvolver uma forte estrutura de trabalho que favoreça a socialização e o espírito de grupo, mas também o desenvolvimento da personalidade do artista através da expressividade aliada a disciplina.